SJ TheDaily - шаблон joomla Форекс

Novidade: Conheçam a PARKBEAT Records

Apresentamos aos nossos leitores e seguidores uma nova editora nacional com o nome PARKBEAT Records criada pela equipa do Park Bar (situado na zona do Bairro Alto em Lisboa).

Na nossa visão, a melhor maneira de vos deixar a par do acontecimento e até mesmo do que esta editora pode vir a trazer ao nosso movimento, foi perguntar pessoalmente a elementos da equipa acerca da visão e objectivos futuros deste ambicioso projeto.

As perguntas que se seguem são direccionadas a João Pedro Moreira e a DJ Glue. O segundo estreia um primeiro projeto de originais (um EP) como primeiro lançamento com o carimbo Parkbeat.

 

João Pedro Moreira

1-Em que sentido e de que maneira podemos/devemos associar a editora Parkbeat Records ao Park Bar?

A Parkbeat Records nasce como consequência da convicção do Park em não ser apenas um bar com uma vista privilegiada. Sempre foi o nosso objetivo sermos relevantes culturalmente para a cidade, desde há quase 4 anos que o temos feito, com uma criteriosa programação diária que se cinge ao que de melhor há ao nível de DJ's nacionais, parcerias com o Rimas e Batidas, constantes colaborações com a galeria de arte urbana Underdogs e convidados internacionais. Neste momento o Park tem como DJ's residentes Kronic, DJ MADDRUGA, BBG, DJ BIG, DJ KWAN e RIOT. O Park também já contou com a presença de Branko, Sam the kid, Nel Assassin, Stereossauro, Holly, entre outros. Internacionalmente, já recebemos o Shortee Blitz, DJ Woody, The Nextmen, Martelo, DJ Vilify, Marginal Men e etc.

 

2-Existe alguma identidade ou linha musical que possamos atribuir à recém-chegada Parkbeat Records?

A base da Parkbeat records está alicerçada no Hip-Hop. Temos consciência que o Hip-Hop de agora, engloba outros sub-géneros que daí emergem. Estamos assim, atentos e recetivos a um panorama musical mais amplo, sempre em busca da boa música.


3-O que trás esta nova editora para o mercado e panorama musical vivido no nosso país?

É uma editora ligada a um espaço por onde passam diariamente pessoas de todo o mundo. É uma grande vantagem para um artista da Parkbeat Records poder estar exposto desta forma. É nossa intenção usar isso a nosso favor, pegando no que de melhor se faz por cá, e ter o Park como montra. Somos o reflexo da contemporaneidade. Somos uma editora voltada para o mundo mas sempre consciente da nossa identidade nacional. O facto de termos sido um embrião criado no ventre do Park permitiu-nos criar uma vasta lista de contactos internacionais que agora se revelarão imprescindíveis no desenvolvimento e projeção da editora.

 

DJ Glue

3-Já temos um primeiro projeto com o carimbo da editora divulgado. Como podemos definir musicalmente o EP que DJ Glue irá estrear que é também o seu primeiro projeto de originais?

Eu posso definir o meu EP como não convencional, um EP para ser ouvido tranquilamente em casa mas que também pode funcionar bem no club sem deixar de ser musical.


4-Tens vários convidados anunciados todos algo diferentes entre si. Como foi juntar estes nomes?

Juntar todos os convidados foi muito fácil, a música juntou-nos e aproximou todos os que participaram no EP, o Carlão por exemplo, já trabalho com ele desde o virar do milénio e ainda ando com ele na estrada, era óbvio que ele tinha de entrar no meu primeiro projecto a solo. O Karlon é dos Mc´s mais pro´s a trabalhar que conheço, e o Scratch já trabalhei com ele em alguns projectos e é dos Mc´s que mais admiro na cena tuga. O Dino é meu bro desde sempre, das vozes mais underated que temos, e tudo foi super natural, quanto á Rita Vian e a Beatriz Pessoa, vieram trazer a vibe feminina que procurava para aqueles instrumentais, tudo muito simples.


5-Há certamente mais nomes com quem trabalhaste/vais trabalhar em breve. Consegues adiantar se já estás a pensar em mais projetos a solo ou o teu foco encontra-se totalmente neste projeto?

O meu foco é evoluir como DJ, porque é o que quero fazer no futuro, gosto muito de poder manipular sons e a minha aventura pela produção serve para desenvolver outras técnicas e usá-las na construção dos meus sets e edits originais, mas quero explorar mais a produção para outros artistas, de maneira a poder usar os pratos como o meu instrumento. 


Deste modo resta-nos agradecer aos elementos da PARKBEAT pela disponibilidade oferecida e podemos ainda aproveitar para relembrar o primeiro single do EP de DJ Glue com o nome "Bate Palmas" onde o mesmo colaborou com Carlão. Fiquem atentos as novidades que se seguem e sigam a editora no Facebook para saberem tudo em primeira mão.

Texto por João Moura; Fotografias cedidas por Arruada;

Newsletter

Subscreve a nossa newsletter